Varizes: conheça quatro complicações
15/05/2018 - 10h57 em Saúde

Foto - Divulgação

Apesar de ser uma alteração estética, as varizes por muitas vezes podem evoluir para problemas mais sérios, por isso a avaliação do angiologista é fundamental. Tromboflebite superficial e úlceras venosas são duas delas

As veias dilatadas e tortuosas que perderam sua função, as famosas varizes, causam danos estéticos, mas também circulatórios e por isso devem ser avaliadas por médicos angiologistas. “As principais complicações das varizes surgem em função da falta de atenção à doença. Além da questão estética, ao menor indício dos sintomas mais comuns, que são dor, inchaço, sensação de peso e cansaço nas pernas, o paciente deve procurar imediatamente a ajuda de um médico para orientar o tratamento”, explica a cirurgiã vascular e angiologista Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

De acordo com a médica, quando o tratamento não é realizado, o organismo pode ser colocado em risco e ser afetado por alguma das principais complicações das varizes, como:

Insuficiência venosa crônica - 
Em geral, mulheres de mais idade podem sofrer com o problema, que também traz relação com o número de gestações, a obesidade e o histórico familiar. Dor, coceira, formigamento, queimação, fadiga, cãibras musculares, inchaço, sensação de peso são os principais sintomas.

Úlceras venosas - 
Consequência do agravamento da insuficiência venosa crônica, as úlceras venosas são feridas abertas que exigem cuidado especializado, causam dor e são muito difíceis de curar. “Após o tratamento, os cuidados e acompanhamento devem ser permanentes para evitar o retorno das úlceras.”

Dermatite ocre - 
O sangue acumulado nas veias extravasa e mancha a pele das pernas com uma coloração acastanhada, semelhante à ferrugem. “A cor tem relação com o ferro contido nos glóbulos vermelhos, que se rompem, liberam hemoglobina e, por consequência, isso altera a coloração da pele da região”

Tromboflebite superficial - 
A famosa trombose é um termo que se refere à condição na qual há o desenvolvimento, nas veias das pernas e coxas, de um ‘trombo’, um coágulo sanguíneo, que entope a passagem do sangue. “Em casos mais raros um pequeno coágulo pode se desprender e correr pela circulação até chegar ao pulmão, o que é chamado de Embolia Pulmonar e pode causar dor no peito, tosse, cansaço, falta inesperada de respiração e em casos mais graves a morte súbita”, conta.

Diagnóstico médico

Como as veias possuem diferentes espessuras, o diagnóstico médico irá determinar como tratar as varizes de acordo com o calibre de cada vaso e os sintomas que a paciente apresenta. “Escleroterapia (substância química injetada dentro da veia), uso de lasers e radiofrequências, espuma densa ou procedimentos que combinem as técnicas são excelentes opções”, explica. Cirurgias também podem ser indicadas, dependendo do caso. O diagnóstico e a intervenção correta devem ser feitos sempre com consulta a angiologistas e cirurgiões vasculares, de preferência membros da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. “Somente um médico especialista poderá avaliar a principal fonte desse problema, pois muitas vezes temos uma veia nutrícia, uma espécie de veia mãe, que precisa ser identificada (por meio da tecnologia de realidade aumentada) e eliminada, caso contrário o tratamento não terá efetividade”, finaliza a médica.
COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!